26/02/2017

Atlético vence, só ataque convence

Vinícius Dias

Aos 19 minutos, Robinho avançou pela esquerda e, com tempo e espaço, cruzou na área. Mesmo espaço que três defensores do Democrata deram para Fred marcar: 1 a 0. Aos 31' da etapa final, Rafael Moura recolocou o Atlético em vantagem após escanteio cobrado por Cazares. Sete minutos depois, o camisa 13 encontrou o artilheiro Fred, que chapelou o marcador e completou para as redes. O placar aponta a quinta vitória em cinco jogos, com bons números ofensivos e liderança isolada no estadual. O campo oferece outros elementos.


Vitória do melhor ataque diante da defesa mais vazada do estadual - situação das equipes antes da partida, reafirmada após o apito final em Governador Valadares - indica expectativa cumprida. Mas a análise dos primeiros 45 minutos, em especial, revela contrapontos: um Atlético com dificuldades para trabalhar jogadas pelo meio, a exemplo do clássico contra o América, errando muitos passes - ao longo do jogo, 49 contra 33 do Democrata, de acordo com o Footstats - e ainda recorrendo a bolas longas, quase sempre sem sucesso.

Fred e Rafael Moura: ataque funcionou
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

O time de Eugênio Souza construiu suas principais chances na etapa final, com mais mobilidade e melhor ocupação dos espaços. Márcio Diogo e Esquerdinha entraram e marcaram gols. Antes, Rafael Tanque já havia balançado as redes de Giovanni, mas o lance acabou invalidado - revi apenas uma vez, e a impressão é de erro da arbitragem. A melhor atuação da temporada, no entanto, esbarrou no poderio e nas alternativas do elenco adversário: o Atlético perdia em força no ataque quando Rafael Moura foi a campo, fez um gol e deu uma assistência.

Bons resultados equivalem a tempo para testar e corrigir erros.
Até aqui, o Atlético de Roger vence, mas só o ataque convence.

Nenhum comentário:

Postar um comentário