03/07/2017

Atlético vence e evolui, Cruzeiro regride

Vinícius Dias

Aos 33 minutos da etapa final, Cazares bate a marcação de Léo e encontra Fred livre na área para estufar as redes de Fábio: 3 a 1 para o Atlético, confirmando a virada contra um Cruzeiro sem forças para reagir na Arena Independência. Segunda vitória seguida em clássico do time de Roger Machado, que viaja em alta para o confronto diante do Jorge Wilstermann, na Bolívia. Mais uma derrota da equipe de Mano Menezes, escancarando a necessidade de repensar as estratégias que renderam apenas uma vitória nas últimas cinco exibições, com dez gols sofridos.


No Horto, a Raposa começou melhor e abriu o placar aos 5': trama no meio-campo, com a bola roubada por Romero passando por Cabral e Alisson até chegar a Thiago Neves. O time estrelado tinha a posse e era mais presente no ataque. Panorama mudado após os 25 minutos. Com a perda de intensidade do adversário, o Galo passou a trabalhar melhor a bola e a encontrar mais espaços. Antes de Cazares marcar, em bela cobrança de falta, Fred já havia ameaçado, completando cruzamento de Yago pela esquerda. O mesmo Fred que desempatou nos acréscimos da etapa inicial.

Fred e Cazares: melhores em campo
(Créditos: Bruno Cantini/Flickr/Atlético-MG)

No segundo tempo, o Cruzeiro voltou a ter a bola nos pés, mas produzia pouco diante de um Atlético que negava espaços. Desorganizada, a equipe celeste deixava explícitas as limitações individuais do setor defensivo e, ofensivamente, tentava encaixar as jogadas tendo Ramón Ábila e Sassá próximos à área, mas sem que a bola chegasse. Distante dos primeiros minutos do clássico, quando teve dificuldades para superar a intermediária, o time alvinegro passou a controlar as ações e ainda teve tempo e organização suficientes para chegar ao terceiro gol.

No domingo de apagão, venceu quem brilhou por mais tempo.
Enquanto o Galo evolui com Roger, a Raposa de Mano regride.

2 comentários:

  1. Cruzeiro precisa repensar seu sistema defensivo. Não dá mais pra manter Leo e Caicedo. Dede e Manoel tambem não são a solução para esse setor. Dede, será sempre uma duvida. Acho que nunca mais voltará a jogar em alto nivel. A Diretoria está sendo omissa, precisa dar uma resposta ao torcedor rapidamente. Não é necessário realizar nenhuma grande contratação, existem bons zagueiros e bons laterais jogando a serie B, basta assistir um pouco de televisão.
    Caso o Cruzeiro consiga terminar o ano no G6 e voltar a Libertadores, a torcida deve comemorar como um titulo... Porem será quase impossível..
    Com esse sistema defensivo, acredito que se não brigar contra o rebaixamento, o cruzeiro vai brigar pela ultima vaga na libertadores com Atlético, Botafogo, Santos, Fluminense e cia.. O Titulo fica entre Flamengo, Palmeiras, Corinthians e Gremio.
    Pra mim Mano Menezes ja deu! Não rendeu nada esse ano. Cansei de toda derrota (o que ja virou habito no cruzeiro) vir com a desculpa de que no próximo jogo o time vai melhorar.
    Treinador enganador, que só ganhou uma copa do brasil (jogando na retranca) e uma serie B. Foi para a seleção porque treinava o Corinthians e a imprensa pressionou.

    Não vejo a hora desse diretoria omissa sair. Obrigado pelo Bicampeonato (o que é obrigação de um time para um time com a tradição do cruzeiro), mas pra mim já deu!

    ResponderExcluir
  2. Há muito tempo esse Mano (e parte da torcida), quando derrotado, não enxerga ou a arrogância não deixa enxergar as virtudes do adversário. Se levou um gol, foi desatenção. Se levou 2 foi falta de concentração, erro de posicionamento. Se levou 3, é porque isso, aquilo… nunca o adversário tem méritos, nunca o adversário tem jogadas ensaiadas e nem craques. Só o Cruzeiro é que tem. Ele perde porque falhou e nunca porque foi de fato derrotado, tática e tecnicamente. Aliás, acho que nem tem adversário jogando contra o Cruzeiro… tamanha a soberba e arrogância.
    Que tal um pouco de Sun Tzu em “A Arte da Guerra” hein Mano e parte da torcida?!?!?

    ResponderExcluir