11/08/2017


Com média de 0,4 gol por jogo, centroavante se despede do time
estrelado e voltará a atuar no Huracán; Raposa se livra de dívida

Vinícius Dias

Emprestado pelo Boca Juniors ao Huracán, Ramón Ábila se despediu oficialmente do Cruzeiro nessa quinta-feira. Mesmo tendo entrado em campo pela última vez no dia 02 de julho, no clássico contra o Atlético, na Arena Independência, o centroavante deixa a Toca da Raposa II como artilheiro celeste na temporada, com 13 gols em jogos oficiais. "Muito obrigado, Cruzeiro, e até breve! Fui feliz demais lá, desejo toda a sorte do mundo para vocês. Aqui tem uma família que torce para o maior de Minas", publicou em seu perfil no Instagram, após o fim da novela sobre seu futuro.


Último capítulo de uma trajetória pontuada por trocas de farpas entre dirigentes de Cruzeiro e Huracán, clube que havia negociado 50% de seus direitos econômicos com a Raposa em junho de 2016, a transferência atende a um desejo expressado pessoalmente por Wanchope. "O que foi importante na negociação, primeiro, foi o desejo do jogador. Ele deixou claro para mim que não queria permanecer, apesar de respeitar muito o Cruzeiro", revelou o vice-presidente de futebol Bruno Vicintin, em entrevista exclusiva ao Blog Toque Di Letra, na última semana.

Ábila: 25 gols em 60 jogos oficiais
(Créditos: Washington Alves/Cruzeiro)

Mesmo sem movimentar altas cifras, a operação terá reflexos nas finanças do clube celeste. Além do empréstimo do meia Alexis Messidoro, que estava no Sport Boys, da Bolívia, e será apresentado nesta sexta-feira, o Boca Juniors assumiu a dívida de US$ 1,5 milhão, cerca de R$ 4,8 milhões, referente à compra de metade dos direitos junto ao Globo. Com a saída, o Cruzeiro ainda deixou de ter a obrigação investir até o fim desta temporada US$ 4 milhões, cerca de R$ 12,7 milhões, para ficar com os outros 50% de Ramón Ábila e garantir sua permanência em Belo Horizonte.

Centroavante já treina na Argentina
(Créditos: CA Huracán/Twitter/Reprodução)

Peça-chave na luta contra o rebaixamento no Brasileirão, o camisa 9 fechou 2016 com 12 gols e a titularidade. Neste ano, no entanto, foi preterido: disputou apenas 14 jogos como titular, ficando na reserva o dobro de vezes. Cenário decisivo para a saída. "Por ele não estar jogando tanto, a dívida que teríamos que assumir no final do ano passava a inviabilizar a permanência", reconheceu Bruno Vicintin. Curiosamente, o argentino se despede também como goleador da era Mano Menezes - contabilizando as duas passagens do treinador pelo clube -, com 24 tentos assinalados.

Ramón Ábila - estatísticas pelo Cruzeiro:

Número de jogos: 60 partidas oficiais - titular em 34
Média de gols: 25 gols marcados - 0,42 por partida
Média de assistências: 3 assistências - 0,05 por partida
Maior vítima: Corinthians - três gols em quatro partidas

Um comentário:

  1. um erro da diretoria celeste, dispensar um atleta artilheiro, exatamente o que o clube mais precisa neste momento e de um artilheiro. o clube não faz gols faz um tempão e o tecnico diz que a culpa e do vento, esse mano e um piadista juntamente com a diretoria celeste. Tomara que não paguemos um preço alto demais. Junto com abila foi embora os gols do cruzeiro. Mano ja ta fazendo hora extra. obrigado abila por ter nos livrado do rebaixamento.

    ResponderExcluir