22/05/2017


Nos bastidores, equipes discutem alternativas de formatos e datas
para torneio; eliminados, catarinenses querem revisão de estadual

Vinícius Dias

Depois de uma primeira fase marcada pela escalação de times alternativos nesta edição, a Copa da Primeira Liga deverá ter mudanças para a próxima temporada. Nos bastidores, o modelo atual é visto com ressalvas, e dirigentes dos clubes filiados já discutem alternativas de formatos e datas para a disputa. Com diretos de transmissão negociados até 2019, outro tema em pauta é a internacionalização da competição, que atualmente conta com representantes de seis estados.


Uma das ideias apresentadas neste sentido, conforme o Blog Toque Di Letra apurou, foi a de transformação da Copa da Primeira Liga em torneio sub-23. "Alguns países europeus, como a Alemanha, têm como foco atletas mais jovens e, por isso, não acompanham tanto as competições do Brasil. Nesses moldes, emissoras estrangeiras poderiam adquirir e transmitir no exterior, justamente para que acompanhem as promessas do futebol nacional", argumenta um interlocutor.

Torneio deve ser reformulado em 2018
(Créditos: Luiz Henrique/Flickr/Figueirense F.C.)

Bem vista por Cruzeiro e Atlético, a proposta divide opiniões na entidade. Entre os clubes que inicialmente se mostraram reticentes, uma das ponderações é de que a limitação de idade poderia, na prática, resultar em menor aceitação por parte dos torcedores brasileiros.

Pré-temporada e Copa do Mundo

Com jogos entre janeiro e outubro nesta edição, a Copa da Primeira Liga deverá ter menor duração no próximo ano. "Teria que ser renovada e, principalmente, criada a condição de um torneio novo, em uma fase em que não haja coincidência com campeonatos em andamento", comenta o presidente do Grêmio, Romildo Bolzan. Entre as possibilidades discutidas estão a disputa de junho a julho, aproveitando a pausa no calendário para a Copa do Mundo, e no período de pré-temporada.

Primeira Liga teve clássico em fevereiro
(Créditos: Washington Alves/Light Press/Cruzeiro)

Recentemente, o mandatário tricolor apresentou uma sugestão elaborada pelo coordenador técnico Valdir Espinosa. "Seria com mais clubes, ao estilo do que existe na Itália, disputado em 45 minutos na pré-temporada", revela Bolzan. No país europeu, o torneio tem duração de um dia e reúne três equipes, que disputam dois jogos de 45 minutos cada. Triunfo no tempo regulamentar vale três pontos. Em caso de empate, há pênaltis, com dois pontos para o vencedor e um para o derrotado.

Revisão do Catarinense em pauta

Entre os catarinenses, já eliminados, a prioridade é a revisão da fórmula do estadual. "Temos 20 datas. Isso não deu condição de os clubes jogarem com os titulares", pondera Francisco Batistotti, presidente do Avaí e vice da Primeira Liga. "A federação já sabe que a proposta do Avaí é fazer com 16 datas", antecipa. O Leão faturou cerca de R$ 750 mil por três jogos da Copa, contra cerca R$ 650 mil por três meses de estadual. Casso tivesse avançado às quartas, haveria premiação extra.

Um comentário:

  1. Essa copa seria uma bela alternativa para os defasados estaduais. Mas, infelizmente, parte dos dirigentes não levam a sério, e, sem contar a CBF estar dando mais autonomia às federações em detrimento dos clubes.

    ResponderExcluir